No artigo de hoje vou falar um pouco sobre reparo de módulos eletrônicos que equipam os carros, caminhões, motocicletas e outros veículos existentes desde 1994. Portanto, sente-se em um lugar confortável pegue o cafezinho ou um suco e prepare-se, pois a leitura será interessante e extensa! 😉

 

COSERTE MÓDULO ECU CENTRAL ECM UNIDADE DE COMANDO REPARO DE CENTRAIS CURSO

As montadoras tem investido fortemente na implantação de tecnologia de primeiro mundo em seus veículos, e isso sempre será uma forte tendência, pois, quem é que não gosta do conforto e das facilidades que a eletrônica embarcada proporciona, não é verdade?

Faça download abaixo da apostila completa com centenas de dicas!

Clique aqui para download / Baixar




 

O curso completo contém mais de 300 páginas, com dicas sobre os mais variados sistemas que equipam os veículos nacionais, e suas principais falhas todas catalogadas aproveite! É grátis para você leitor do umgenio.

NOTA:  Os arquivos são protegidos com senha, a senha para descompactar é: umgenio.com.br

Boa Leitura!

Com a chegada de tanta tecnologia problemas foram solucionados, e os carros se tornaram muito mais confiáveis e recheados de recursos, antes inexistentes. Um grande exemplo de vantagem, é a injeção eletrônica e os sistemas de gerenciamento eletrônico de motores ciclo otto e diesel, que proporcionam grande economia de combustível aliada a um excelente aproveitamento de força do motor.

Porém, com tanta coisa boa também surgiram alguns detalhes…

Que fizeram com que o mercado de reparação automotiva tivesse que se atualizar e aprender a lidar com os novos equipamentos dos automóveis atuais.  Reparar carros deixou de ser simplesmente só torcer parafusos e fazer ajustes mecânico. Para se ter ideia ainda existem no Brasil, muitos reparadores autônomos que ainda tem dificuldade para solucionar problemas nos veículos modernos, e acabam passando por grande frustração, além de deixar frustrado o cliente. Infelizmente no Brasil, conhecimento, ferramentas e peças de qualidade, ainda não estão 100% ao alcance de quem quer trabalhar.  Realidade muito diferente de outros países onde é mais acessível e barato aprender a trabalhar com tecnologia automotiva.

Chega de enrolação, vamos direto ao assunto!

Módulos de controle e equipamentos eletrônicos que equipam veículos, normalmente apresentam problemas, e alguns além de caros, não são encontrados no mercado de reposição, o que torna viável o reparo de tais módulos. Um veículo moderno fabricado atualmente pode ter vários módulos de controle em sua carroceria, são eles:

  • Módulo de Injeção Eletrônica UCE  ou conhecido simplesmente como ” Central “;
  • Módulo de Controle de Transmissão TCM ou a Central do Câmbio Automático;
  • Módulo de Controle de Carroceria BCM Bsi BC ou Central de Múltiplas Funções que comanda: faróis, luzes de cortesia, setas, limpador de para brisas, alarme, chave anti furto codificada, vidros elétricos com anti esmagamento, travas elétricas, lanternas, desembaçadores e climatização;
  • Módulo de Controle de Arrefecimento: como próprio nome diz, controla o funcionamento das ventoinhas do radiador para arrefecer o motor;
  • Módulo de Controle do Climatizador: controla o ar condicionado, tanto quente como frio;
  • Módulo de Conforto:  controla alarme, trancas, travas elétricas, vidros elétricos, teto solar, regulagens de bancos elétricos, retrovisores elétricos,  funções de aquecimento de acentos, entre outras funções, dependendo do modelo do veículo e seus opcionais;
  • Módulo de Controle dos Freios ABS: este controla o funcionamento dos freios abs, além de também controlar funções de controle de tração e estabilidade, quando disponíveis;
  • Módulo de Controle de Airbag’s: este tem função de controlar o acionamento das bolsas dos Airbag’s, no momento certo para diminuir danos aos tripulantes em caso de acidentes. Este módulo também efetua diagnóstico constante de seus sensores e atuadores, e alerta o motorista através de luz de aviso no painel para possível mal funcionamento do sistema Airbag;
  • Os velocímetros dos carros atuais também são considerados módulos.

Estes são só alguns dos módulos que são encontrados nos veículos modernos, existem montadoras que costumam fabricar um módulo separado para cada função do carro, tornando os sistemas mais confiáveis, porém, mais complexos.

Todos estes módulos, possuem unidade lógica de processamento de dados (processador), Memória RAM e ROM, e estão todos interligados através da rede CAN  .   Assim, todos são gerenciados pela unidade de comando principal do carro e ela pode tomar decisões para melhorar o funcionamento do veículo, ou efetuar diagnósticos em tempo real, usando a estratégia de cruzamento de dados.

Os principais defeitos frequentes em centrais e módulos:

São relacionados a mau funcionamento do motor e transmissão, em alguns casos podem fazer com que o veículo não entre mais em funcionamento ou tenha seu rendimento comprometido. Na grande maioria dos casos, problemas em centrais são causados por agentes externos como, por exemplo, água de enchentes, água do mar, ou até mesmo ao descuido na instalação de uma bateria nova (inversão de polaridade da bateria, curto circuito, ou mau funcionamento do alternador). Em outros casos, os problemas em módulos são causados por desgaste da fiação do carro, o que provoca curto circuito, ou por desgaste natural de atuadores, que trabalham em um regime não especificado e acabam danificando os módulos também.

Por exemplo:  Uma bobina de ignição com fuga de corrente de alta tensão para o chicote do módulo ou em curto circuito, pode ocasionar a queima do módulo de injeção eletrônica, e com isso, o veículo poderá deixar de funcionar. Outro exemplo, é o mau funcionamento do atuador de marcha lenta, se este estiver travado ou em curto também pode provocar danos ao sistema.

 

IAW 4AF.M1, S2, M7, M9

Componentes do módulo de injeção eletrônica – e controle do motor

Em geral, as centrais dos carros modernos possuem a seguinte configuração interna:

  1. Multi-Drivers: (Transistores multi funções, que controlam diversos atuadores). Este da imagem controla Bicos injetores, válvula de purga de canister, solenoide de partida a frio, relês da injeção, e atuador de marcha lenta;
  2. Processador Principal: (Do tipo MCU com ROM e RAM integrados) programável via K line;
  3.  Ci Regulador de voltagem 5 volts: alimenta todos os circuitos do módulo e os sensores externos que usam 5 volts;
  4.  Transistores Mosfet;
  5.  Drivers para Controle de Bobinas de ignição: controlam a centelha das bobinas;
  6.  Capacitor Eletrolítico: Filtra a voltagem de alimentação para o regulador de 5 volts;
  7.  Cristal Oscilador;
  8.  Diodos Retificadores;
  9.  Memória EEPROM: que contém dados do imobilizador e número do chassis, configuração acessórios;
  10.  ” * ” Circuito de comunicação com a Rede Can;

Defeitos:

Os módulos de injeção eletrônica podem sofrer falhas causadas por diversos motivos;

  • Intervenção por pessoas ou técnicos não capacitados;
  • Falha de programação lógica ou memória corrompida;
  • Falhas causadas por infiltrações de água na carroceria ou por enchentes;
  • Falhas causadas por raios (são raros os casos);
  • Falha causada por desgaste prematuro de componentes (defeito de fabricação);
  • Falhas causadas por desgaste natural das instalações elétricas do carro, componentes externos ao módulo;

Intervenção por pessoa ou técnico/mecânico reparador não capacitado, é a causa mais comum para falhas em sistemas de eletrônica embarcada. Infelizmente no país onde vivemos ainda é difícil adquirir conhecimento técnico sobre as novas tecnologias embarcadas nos automóveis, e muitos reparadores acabam aprendendo a trabalhar na marra, e falhas por falta de conhecimento se tornam comuns, porém, não intencionais.  A simples instalação de um acessório no veículo como um alarme ou anti furto, corta corrente ou aparelho de som, se não feito de maneira correta pode afetar os sistemas eletrônicos do carro, causando efeitos adversos e falhas indesejadas.  Muitas vezes os próprios proprietários querem se aventurar a mexer no próprio carro e acabam por acidente causando falhas do tipo.

Exemplos de falhas causadas por seres humanos, (risos) :

  • Instalação errada de: acessório, luzes de xênon, som, vidros elétricos, e DVD amplificadores;
  • Instalação de: velas, bobinas, cabos de ignição de má qualidade ou não especificados;
  • Inversão de polaridade da bateria ou inversão de polaridade na hora de dar um ‘pulo’ na bateria;
  • Inversão de fios de sensores ou atuadores da injeção eletrônica;
  • Instalação de peças adaptadas não especificadas ao veículo;
  • Gambiarras elétricas de modo geral: desconfie de tudo ou fique com o prejuízo posterior;

Falhas de programação e memória corrompida, são muito comuns em módulos que trabalham com MCU (um tipo de processador, que possui memória ROM, RAM, e EEPROM, tudo integrado em um único chip). E podem ser facilmente corrigidas, com auxilio de uma cópia dos arquivos de um módulo em bom estado e um programador compatível para a reescrita dos dados no chip.

Veja este artigo que mostra como recuperar uma ECU com memoria corrompida.

Falhas causadas por infiltrações de água na carroceria e imersão do veículo em enchentes também são uma causa muito comum de falha dos sistemas eletrônicos automotivos, e este por sua vez, é um dos mais catastróficos, pois, em alguns casos pode significar perca total do veículo (até mesmo veículos de luxo importados, podem ter perca total dependendo da quantidade de módulos danificados).  Em termos de facilidade de reparo, um módulo oxidado por completo, também algo muito difícil de ser reparado com sucesso, pois com a quantidade de componentes e micro trilhas sensíveis, a corrosão é muito grande e em grande parte dos casos, o módulo não volta a funcionar normalmente.

Falhas causadas por… água?!

  • Lavagem de partes sensíveis do veículo ou do habitáculo podem causar prejuízos;
  • Infiltrações de água em borrachas de vidros, calhas,  aquela borrachinha do para brisas;
  • Enchentes, infelizmente os nossos amados automóveis não são a prova d’água, e podem sofrer falhas ao cair em rios, lagos e enchentes;

Falhas causadas por raios e descargas elétricas naturais, são menos comuns mas não deixam de ser uma causa conhecida para falha em sistemas de eletrônica embarcada em automóveis, especialmente, quando o veículo é atingido por um raio, seja em funcionamento ou parado, estacionado.

  • Se seu carro ficou próximo a área da queda de um raio, e após isso não funcionou mais, então você pode ter sido premiado…  Não que o prêmio seja bom, mas é isso, talvez os módulos queimaram.
  • Ao fazer uma solda na lataria do carro retire os módulos eletrônicos fora pra evitar a queima.

Falha causada por desgaste prematuro dos componentes internos do módulo, tem sua fatia de causa de falhas que deixam o reparador confuso, sem saber ao certo como proceder para efetuar o reparo de veículo. Uma montadora no Brasil a alguns anos (por volta de 2008, 2010) enfrentou problemas recorrentes em vários modelos que compartilhavam sistemas eletrônicos parecidos, as falhas foram catalogadas e os veículos afetados sofreram recall silencioso.  Mesmo assim, ainda existem unidades rodando que ainda não apresentaram problemas, e um hora ou outra vão falhar e deixar seus donos na mão sem aviso.

  • Não vou falar em nome de montadora para não arrumar confusão com ninguém, mas essa é uma realidade, é preciso admitir!  No meu dia a dia vejo muito isso em veículos que são recém lançados e estreiam alguma tecnologia.  As primeiras unidades sempre vem com alguma “bicheirinha” oculta.

Falhas causadas por desgaste natural das instalações elétricas do carro e componentes externos aos módulos eletrônicos, também são bastante comuns e basicamente as falhas mais frequentes são relacionadas a fios descascados, mau aterramento, defeito do alternador, sistema regulador de carga da bateria.

  • Este sem dúvida é um vilão que causa medo, pois, se não for diagnosticado com sucesso pode voltar a queimar módulos ou danifica-los com o tempo.
  • Normalmente, veículos com instalação elétrica muito deteriorada necessitam atenção especial para solucionar o problema, e, o mais indicado é a confecção de um chicote novo.

Falhas no sistema imobilizador (Chave Codificada) :

Em geral, falhas nos sistemas imobilizadores acontecem com veículos mais antigos e podem também deixar o motor inoperante. Em muitos casos é possível gerar uma nova chave ou trocar algum componente do sistema e o sistema volta a funcionar normalmente.

Mas, existem casos em que nada parece resolver o problema, então uma solução que funciona para muitos veículos (novos e antigos), consiste basicamente em desabilitar a chave codificada,  e o veículo pode funcionar sem necessidade de chip na chave. Este método é conhecido fora do brasil como ” immo off”, ou basicamente desabilitar imobilizador.

Normalmente, para desabilitar o imobilizador e eliminar a necessidade de chaves codificadas basta programar o módulo de injeção eletrônica para isso, com auxilio de um programador de memórias compatível e com o conjunto de arquivos correto, você consegue desabilitar e tornar o carro livre de falhas com este sistema.

Veja aqui um artigo completo ensinando como reparar ou desativar o imobilizador.

Reparo de Imobilizador Automotivo, Reset e Decode, como fazer:

Gostou do conteúdo?  deixe seu comentário abaixo!