Imobilizador : como funciona e suas falhas.

No passado roubar um automóvel era apenas uma questão de quebrar uma tranca, descascar e juntar alguns fios coloridos e como um passe de mágica o motor entrava em funcionamento.

No Brasil por volta do ano 2000 os carros já vinham sendo fabricados com um acessório que diminuiu drasticamente o numero de roubos de veículos sem o uso da chave:  O Imobilizador Automotivo, conhecido também como immo ou anti-arranque.

O imobilizador atualmente é composto por:

Chave codificada

Chave codificada: O chip pode ser visto através do corte feito nela.

1: Chave codificada com segredo mecânico e transponder ( no transponder fica guardado o código secreto que faz o carro pegar, este é o famoso “Chip” ).

Antena do imobilizador

Antena do imobilizador, tem forma de “o” pois fica em volta do cilindro da ignição.

2: Antena do imobilizador, que pode ser ou não acoplada a uma placa com o circuito central de comando. Em alguns casos a placa fica em uma caixinha escondida embaixo do painel bem longe da antena.

Central de comando IMMO

Central de controle do imobilizador. (conhecida por alguns como caixinha).

3: Central de comando do imobilizador: Controla a recepção do código secreto da chave, e a gravação de novas chaves, além enviar também um sinal ao computador do carro (ECU – ECM) para permitir a partida.

Luz do imobilizador

Luz indicadora de falhas do imobilizador. ao dar a partida esta deve apagar, se não acontecer provavelmente você tem uma falha no sistema.

4: Existe também no painel dos automóveis uma luz com formato de uma chave, cadeado ou com as palavras CODE, ou LOCK que permite diagnósticos rápidos do sistema de imobilizador. Ela acende ao virar a chave do contato, e após a partida deve apagar.  Se o ela ficar piscando repetidamente, ou de maneira intermitente ao tentar dar a partida, e o motor do carro não entrar em funcionamento é muito provável que exista uma falha no transponder da chave, ou em qualquer outra parte do sistema imobilizador.

A sequência de funcionamento é a seguinte:

Ao abrir o carro e inserir a chave no contato de ignição a antena é rapidamente eletrificada por um pulso enviado pela central de controle do imobilizador, o que faz com que o transponder (chip) da chave seja alimentado, enviando assim o código secreto para antena do imobilizador, o código é interpretado, e se estiver correto, então um sinal é enviado a ECU, que por sua vez libera o pulso dos bicos injetores, e alimentação elétrica do sistema de injeção eletrônica, Permitindo que o motor entre em funcionamento.

Caso o código que esteja armazenado na chave não seja o código correto esperado pelo sistema, após três tentativas o sistema fica temporariamente travado e não permite a partida mais.

Mais como nem tudo são flores…

Como todo sistema anti furto, com o passar dos anos vai se tornando defasado, e os larápios e gatunos de plantão vão aprendendo a dominar e a burlar o sistema para furtar os carros. Então toda a forma de proteção se torna válida para complementar o imobilizador e evitar que o carro seja roubado.

Mesmo com sistema imobilizador os carros hoje em dia são furtados com frequência, onde o bandido simplesmente arranca fora a ecu do carro, e insere uma ecu modificada que não precisa de chave codificada pra dar a partida e leva o carro embora em poucos minutos.

Você pode complementar a segurança de seu carro com:

*Um bom alarme automotivo que seja bem instalado, Procure adquirir um alarme de uma marca bem conhecida, e busque um instalador que seja conhecido fazer uma boa instalação, e você com certeza irá tornar seu carro mais difícil de ser furtado.

*Instale um rastreador veicular.  Pois na pior das hipóteses se o carro ainda sim for roubado você ainda poderá rastrea-lo com o auxilio da polícia e recupera-lo sem maiores dores de cabeça.

*Faça um seguro! Para muitos o seguro pode não ser a opção mais barata ou acessível, mais depois de estar morando no Brasil, acho que uma das melhores saídas é contratar este serviço.

 

Além de tudo isso…

Sistemas eletrônicos são sucessíveis a falhas com o passar do tempo, ainda mais quando falamos de carros, até porque estão expostos diretamente a ação do tempo, calor, radiação solar, chuvas, infiltrações, enchentes, e o desgaste natural.  É ai que mora o problema..

Um sistema imobilizador com defeito, pode causar uma baita dor de cabeça, até porque as peças são caras, e existem poucos profissionais com conhecimento necessário para desvendar defeitos nessa tecnologia nova, considerada complicada demais por profissionais mais antigos da área automotiva.

Principais defeitos:

Falha no transponder: que pode ser intermitente, e algumas vezes causada por quedas bruscas da chave do carro no chão,  ou em outros casos causada por interferência eletromagnética provocada por exemplo pela mania ou simplesmente falta de conhecimento do usuário do carro, de colocar a chave sobre a geladeira ou outro eletrodoméstico todos os dias ao chegar em casa.

Falha na Antena do imobilizador do carro: Que pode ser causada pela ação do calor do sol dos grandes centros da cidades, que com o tempo tendem a tornar as propriedades condutoras da antena diferentes, alterando a resistência elétrica, e deixando um defeito intermitente cabeludo, que faz com que o carro hora funcione, hora não funcione.

Falha nos circuitos eletrônicos, fiação do carro, ou interferências causadas por acessórios mal instalados ou de má qualidade:  Alarmes, som, ou kits de xenon mal instalados podem causar falhas dificeis de serem detectadas no imobilizador, tornando o funcionamento do carro imprevisível e falho.

Vale lembrar que falhas na bateria, e infiltrações de aguá também danificam o sistema.

 

Se você gostou do artigo ou tem alguma dúvida deixe um comentário abaixo!